Placar do impeachment – consolidado

Placar do impeachment – consolidado

Atualização às 13:45 de sábado.

A Folha deu uma mexida no seu placar nas últimas duas horas, o que levou a um mudança no cenário “Coerente” do nosso placar consolidado. Segundo o jornal, o número de apoiadores do impeachment teria passado de 341 para 346.

Com isso, passam a ser 342 os parlamentares que declararam aos três jornais o voto pelo sim, o que faria atingir assim o número mínimo para que o impeachment passasse.

Na projeção do melhor cenário  para a oposição, o número de favoráveis à destituição de Dilma aumentou de 346 para 349. Já no cenário mais favorável ao governo, o “Sim” está em 342, como no cenário mais neutro. O “Não” manteve-se estável nos três cenários.

Entretanto, muita água ainda pode rolar até amanhã, quando os parlamentares apresentarem seus votos. Com todas as negociações que estão rolando nos bastidores da capital federal, não surpreenderá se muita gente votar ao contrário do esperado. Vamos esperar e ver!

Veja abaixo a tabela mais atual, e confira no restante do post as tabelas anteriores.

Globo Estadão Folha Coerente Governo Oposição
Total 513 513 513 513 513 513
Sim 345 344 346 342 342 349
Não 122 133 128 120 138 120
Abstenção 0 0 0 0 0 0
N/D 46 36 39 51 33 44

Tabela às 11:31 do sábado

Atualização às 11:31 de sábado.

Veja a tabela atualizada, e leia em seguida o resto do post para entender os números e comparar com a tabela de notem à noite. O que se nota é que, durante a manhã, no cenário “coerente” (onde só se considera um voto contra ou a favor se todos os jornais estiverem de acordo entre si) , o lado pró-impeachment avançou dois votos (de 339 para 341), colocando-se a um voto do necessário para vencer. Enquanto isso, o “Não” continuou estacionado nos 120 votos.

Também no cenário pró-governista (em que basta uma citação contra o impeachment em qualquer uma das três pesquisas para o voto ser considerado favorável ao governo) os pró-impeachment avançaram de 339 para 341, com o “Não” estacionado em 138 votos.

Finalmente, no cenário oposicionista (onde tão somente uma citação a favor do impeachment em qualquer uma das três pesquisas já considera o voto como desfavorável ao governo), aconteceu o contrário, com o “Sim” caindo de 347 para 346 votos. O “Não” ficou parado nos mesmos 120 votos.

Como se vê, são sutis mudanças, todas seguramente dentro de uma margem de erro suficiente para permitir surpresas amanhã. Ou não, como diria Gilberto Gil.

Globo Estadão Folha Coerente Governo Oposição
Total 513 513 513 513 513 513
Sim 345 344 341 341 341 346
Não 122 133 128 120 138 120
Abstenção 0 0 0 0 0 0
N/D 46 36 44 52 34 47

Tabela às 11:31 do sábado

—— Abaixo, o post original com a tabela de sexta â noite:

Olha o Sem Saco falando de assunto sério.

A menos de 48 horas para a votação da admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Roussef na Câmara dos Deputados, todos os olhos se voltam para as previsões e placares do impeachment publicados por diversos sites, analistas e grandes jornais.

No entanto, os números fornecidos pelos três mais importantes jornais (Estadão, Folha de São Paulo e O Globo), com base nas enquetes que estes vêm fazendo com os parlamentares, não correspondem entre si, o que adiciona uma dose ainda maior de incerteza ao resultado desse Fla-Flu em que o país está imerso.

Para ajudar (ou atrapalhar) um pouco mais, decidir fazer um cruzamento entre os dados dos placares do impeachment dos três jornais, e cheguei a três resultados diferentes, cujos números coloco na tabela abaixo (dados atualizados às 23:55 da sexta-feira) e os explico em seguida.

Globo Estadão Folha Coerente Governo Oposição
Total 513 513 513 513 513 513
Sim 345 343 341 339 339 347
Não 122 133 128 120 138 120
N/D 46 37 44 54 36 46

Tabela às 23:55 da sexta-feira

A linha “Sim” representa os votos favoráveis ao impeachment, a “Não” totaliza os votos contrários, e “N/D” representa os parlamentares que ainda não se decidiram, não quiseram responder ou não foram contactados pelos jornais.

A coluna “Coerente” leva em conta os votos que foram declarados pelo(a) parlamentar da mesma forma aos três jornais, ou seja, um voto contra o impeachment só é considerado se o deputado declarou-se contra em todos os placares.

Já a coluna “governo” considera o que seria o melhor cenário para os governistas: se, em ao menos algum dos placares, o parlamentar declarou seu voto contrário ao impeachment, esta coluna considera o seu voto como contrário, mesmo que nos outros placares o seu voto tenha sido declarado favorável, ou que ele não tenha dado sua opinião. Caso contrário, leva-se em conta o critério da coerência.

De maneira similar, a coluna “oposição” considera o melhor cenário para os oposicionistas: se o parlamentar declarou voto pelo impeachment em ao menos um dos placares, esta coluna o considera favorável ao impeachment. Caso contrário, usa-se o critério da coerência.

Em outras palavras, a coluna coerência é a mais equilibrada das situações, já que leva em conta apenas os votos que estejam aparentemente consolidados. Obviamente, ninguém pode descartar que haja defecções e traições na hora da verdade. Só esperando domingo para saber o resultado final!

Quem você que vai ganhar essa disputa? Você é a favor ou contra o impeachment? Deixe seu comentário.